quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Os critérios do Google

Marcelo Spalding

Uma das perguntas mais frequentes entre os profissionais web é: quais são os critérios do Google para classificar um site em seus mecanismos? Como faço para me inscrever?

Bem, primeiro, o Google tem um robô, ou milhares, que fazem periodicamente uma varredura nos sites da web, então essa identificação e classificação são automáticas. E como é periódica, a posição do seu site varia de acordo com a classificação que ele recebe.

Há quem diga que o Google utilize mais de 200 critérios para analisar um site e, a partir desses, atribuir uma pontuação a cada um dos sites selecionados. Com isso, o Google apresenta nas primeiras posições aqueles sites que têm maior pontuação e, quanto menor a pontuação do site, pior a classificação dele.

Para não fugir da resposta, vejamos aqui alguns dos critérios mais importantes.

1. O domínio: é muito importante o domínio do site, então uma busca por Confidentia, por exemplo, deve retornar primeiro o www.confidentia.com.br (no Brasil). Isso evidencia a importância de se ter um domínio relevante para a empresa, e até de se adquirir mais de um domínio (.com.br, .com), evitando que um concorrente adquira um domínio semelhante.

2. O título e as meta-tags: o título do site é extremamente importante na busca, por isso sempre é bom colocar o nome da empresa, o local da empresa e algumas palavras-chave. Não adianta colocar centenas delas, há um limite e quanto menos, mais o Google irá considerar relevante. Vale o mesmo para as meta-tags (informações que ficam escondidas no site), como descrição, idioma, palavras-chave. Também é importante que o título da página altere de acordo com o conteúdo dela, reproduzindo, por exemplo, o título da notícia.

3. Conteúdo relevante e atualizado: um site com mais conteúdo e conteúdos mais relevantes e atualizados será melhor indexado, isso é um fato conhecido. E o Google cada vez mais incentiva essa classificação qualitativa (há pouco inaugurou a possibilidade do próprio usuário ranquear os sites).

4. Troca de links: um dos segredos do ranqueamento do Google é que quanto mais páginas linkarem para o seu site, melhor classificado ele estará. Então a troca de links é uma prática extremamente saudável para qualquer site, assim como conteúdos relevantes que sejam linkados em outros sites e blogs.

5. Programação otimizada: há diversas questões de programação que interferem nos robôs do Google. A mais importante delas é que o Google (ainda) não varre arquivos Flash (SWF), então um site feito totalmente em Flash terá mais dificuldades de ser encontrado do que um site em HTML. Outras, como a criação de um SiteMap, devem ser solicitadas ao seu programador.

Do mais, a lição parece ser que quanto melhor um site, melhor indexado ele estará, então não acredite em soluções mágicas e não trabalhe apenas olhando para o Google: invista num site de qualidade, com conteúdo interessante e atualizado, e o resultado virá paulatinamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário